Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

SERÁ QUE DEVEMOS PERGUNTAR?

  

Pergunto à gente que passa
por que vai de olhos no chão.
Silêncio -- é tudo o que tem
quem vive na servidão.

  

Vi florir os verdes ramos
direitos e ao céu voltados.
E a quem gosta de ter amos
vi sempre os ombros curvados.

 

E o vento não me diz nada
ninguém diz nada de novo.
Vi minha pátria pregada
nos braços em cruz do povo.

 

Vi minha pátria na margem
dos rios que vão pró mar
como quem ama a viagem
mas tem sempre de ficar.

 

Vi navios a partir
(minha pátria à flor das águas)
vi minha pátria florir
(verdes folhas verdes mágoas).

 

Há quem te queira ignorada
e fale pátria em teu nome.
Eu vi-te crucificada
nos braços negros da fome.

 

E o vento não me diz nada
só o silêncio persiste.
Vi minha pátria parada
à beira de um rio triste.

 

Ninguém diz nada de novo
se notícias vou pedindo
nas mãos vazias do povo
vi minha pátria florindo.

 

E a noite cresce por dentro
dos homens do meu país.
Peço notícias ao vento
e o vento nada me diz.

 

Mas há sempre uma candeia
dentro da própria desgraça
há sempre alguém que semeia
canções no vento que passa.

 

Mesmo na noite mais triste
em tempo de servidão
há sempre alguém que resiste
há sempre alguém que diz não.

Manuel Alegre

 Pergunto ao vento que passa
notícias do meu país
e o vento cala a desgraça
o vento nada me diz.

 

Pergunto aos rios que levam
tanto sonho à flor das águas
e os rios não me sossegam
levam sonhos deixam mágoas.

 

Levam sonhos deixam mágoas
ai rios do meu país
minha pátria à flor das águas
para onde vais? Ninguém diz.

 

Se o verde trevo desfolhas
pede notícias e diz
ao trevo de quatro folhas
que morro por meu país.

 

 

  

 

tags:

publicado por meugirassol às 10:23
as minhas pétalas | deixe a sua pétala | favorito
4 comentários:
De Chicailheu a 12 de Agosto de 2008 às 03:31
Amiga
Este é um dos poemas de Manuel Alegre de que mais gosto.
Tenho dois livros de poemas dele.
O que ele escreveu neste poema, continua a ser "presente"; adequa-se perfeitamente!
Beijinhos
Chicailheu


De meugirassol a 10 de Setembro de 2008 às 23:33
Amiga obrigada pela visita e desculpa a ausência, mas olha, também foram ferias da Net . beijos de MeuGirassol "


De maripossa a 3 de Setembro de 2008 às 21:49
Olá Maria de Jesus. De regresso e colocar a escrita em dia, fazer as visitas e escrever algo, tem de ser aos poucos, mas vai lá.
Este poema de Manuel Alegre, é um dos que mais gosto, sempre actual, e verdadeiro.
Beijinho Lisa


De meugirassol a 10 de Setembro de 2008 às 23:35
Olá e obrigada pela visita, Enfim as férias acabaram e agora é hora de retomar a rotina, enfim... beijos de MeuGirassol


cultive meu jardim

Abril 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Saudades

posts recentes

Senhora de 92 anos mostra...

DICAS DE BELEZA

CAMINHAR

AMIGOS NÓS ESCOLHEMOS

Toca a sair de casa e apr...

PODE SER QUE UM DIA.........

LADOEIRO TRADIÇÃO ÚNI...

DANÇAR É VIVER

FIM SEMANA À PORTA!!!!!!

"AMIGOS" se os temos somo...

tags

a vida sem alguem

adeus

amigos

anedotas

auto estima

ciclos na nossa vida

comentários

criança

curiosidades

dança

desejo uma santa pascoa

despedida

deus sabe

dia da mulher

dicas

dicas beleza

dicas horta & jardim

educação

espiritual

ferias

ferias video

frases

inspiração para hoje

mensagens

mulher

musica

nao devemos esperar

natal

oração

os filhos

parabens

pensamentos

pétalas da noite

pétalas do dia

poemas

recados

são martinho

saudades

saudades do meu anjo

videos

todas as tags

SAPO Blogs

subscrever feeds